Quando publiquei o post sobre a atualização de PCs antigos para jogos, muitos perguntaram sobre as opções de placas para micros anteriores a 2005/2006, que ainda utilizam placas-mãe com slot AGP.

Atualizar o PC para uma placa com um slot PCIe nesses casos não é uma opção viável, pois além da placa-mãe você precisaria trocar também o processador, os módulos de memória (já que provavelmente o antigo ainda utiliza módulos DDR1) e talvez até mesmo o HD, já que placas atuais possuem apenas uma porta IDE, ou nenhuma. Com isso, a escolha acaba sendo entre manter a placa-mãe antiga, ou trocar o PC inteiro.

Embora o AGP 8x ofereça uma banda total de 2133 MB/s (equivalente à banda oferecida por um slot PCIe x8), que é mais do que suficiente para atender às necessidades de uma GPU mid-range atual, a rápida transição entre o AGP e o PCI Express fez com que a produção de placas AGP fosse quase que completamente encerrada a partir de 2006.

Muitas das placas AGP que ainda podem ser encontradas nas lojas no final de 2009 são sobras de linhas antigas, como as nVidia GeForce 6200 e FX5200 (que são muitas vezes vendidas por 160 reais ou mais, servindo como uma armadilha para os incautos), mas alguns fabricantes ainda produzem placas AGP em pequenas quantidades, continuando a lançar placas baseadas em chipsets atuais. Um dos exemplos mais recentes é a Gigabyte GV-R465D2-1GI, uma Radeon 4650 com 1 GB de RAM.

Além dela, temos também modelos das Radeon HD 4650 e 4670 produzidos pela PowerColor e pela HIS, que podem ser seguidas por placas de outros fabricantes.

O RV730 não oferece suporte ao barramento AGP, por isso a placa usa um bridge ATI Rialto (instalado na parte traseira do PCB) que faz a ponte entre o chipset e o barramento AGP.

Este é o mesmo chip usado desde 2005 para criar versões AGP de placas baseadas em chipsets da ATI, que vem sobrevivendo à passagem do tempo. Graças a ele, foram lançadas anteriormente versões AGP das Radeon HD 2400, 2600, 3450, 3650, 3850 e 3870, que desfrutaram de um relativo sucesso.

Existem várias desvantagens em criar uma placa AGP utilizando o bridge PCIe>AGP. A principal delas é o custo, já que o chip adicional adiciona de 10 a 20 dólares ao preço final da placa. Outro problema é que o slot AGP é capaz de fornecer apenas 25 watts (AGP 2.0) de energia para a placa de vídeo, o que obriga os fabricantes a adicionarem reguladores de tensão adicionais para que a placa possa obter energia a partir de um conector molex ou PCIe.

Embora todo o processo de conversão de sinais seja feito via hardware, o uso do bridge adiciona uma camada adicional de latência, que reduz sutilmente o desempenho das placas em relação a uma versão PCIe nativa com as mesmas especificações. Existe também uma pequena perda adicionada pela menor banda oferecida pelo AGP, o que leva muitos fabricantes a utilizarem frequências levemente superiores para a GPU ou os módulos de memória, para que as placas AGP não fiquem muito atrás nos benchmarks.

Outra potencial fonte de problemas são os drivers, já que o uso do bridge adiciona toda uma camada adicional de funções e chamadas que precisam ser adicionadas ao código. Como as placas AGP representam uma fatia muito pequena nas vendas, o suporte é feito muitas vezes através de versões modificadas pelos fabricantes, que não acompanham as atualizações das versões oficiais, criando uma série de problemas e incompatibilidades. Como de praxe, a forma mais segura de utilizá-los é remover qualquer versão dos drivers oficiais que esteja instalada antes de trocar a placa.

A ATI não oferece suporte oficial às placas HD 2xxx, 3xxx e 4xxx AGP no Catalyst (pelo menos não até a versão 9.6), oferecendo em seu lugar um hotfix não-suportado, que pode ser encontrado aqui.

Entretanto, o principal problema é mesmo a diferença no custo final. A Gigabyte GV-R465D2-1GI, por exemplo, é vendida no exterior por US$ 89, quase o dobro do preço das versões PCIe da HD 4650, que podem ser encontradas por menos de 50 dólares. Essa mesma relação era encontrada também em placas anteriores, que chegavam a custar o dobro do preço.

Essas diferenças surgem devido aos custos adicionais, combinados com a baixa demanda pelas placas AGP e da pouca concorrência entre os fabricantes. Isso faz com que a compra de placas como a GV-R465D2-1GI seja um upgrade de alto risco, já que você paga mais caro por uma placa com problemas potenciais nos drivers e que não poderá ser aproveitada em upgrades futuros.

O ATI Rialto é análogo ao chip nVidia HSI, que é usado como bridge PCIe>AGP em placas da nVidia. A principal diferença é que a nVidia foi bem menos longe com as atualizações do chip, oferecendo apenas versões compatíveis com os chipsets NV43/NV44 (GeForce 6200, 6500 e 6600) e G70 (GeForce 7xxx), o que encurtou a vida das versões AGP. Os dois últimos suspiros dentro da linha foram a GeForce 7800 GS e a GeForce 7900 GS, lançadas em 2006.

Apesar de relativamente cara, a 7800 GS usada uma versão castrada do G70, com apenas 16 pixel shaders, 6 pixel shaders e 8 ROPs (contra 24, 8 e 16 da 7800 GTX PCIe) e um clock mais baixo, o que limitou bastante o desempenho e fez com que a placa acabasse sendo mais uma fonte de frustrações do que uma opção válida de upgrade.

A nVidia se redimiu (pelo menos parcialmente) com a GeForce 7900 GS, que oferecia a mesma configuração da versão PCIe. A princípio, a empresa se mostrou disposta a continuar atualizando o chip HSI, possibilitando o lançamento de versões AGP das placas da série 8xxx, mas em 2008 decidiram cancelar o projeto, alegando falta de demanda.

Como o número de donos de PCs com slot AGP interessados em um upgrade da placa 3D é menor a cada ano, cada vez menos fabricantes se mostram dispostos a investir no segmento. Naturalmente, os PCs com slot AGP ainda podem desempenhar muitas outras tarefas, mas em relação às placas 3D e jogos, tudo indica que as HD 4650 e 4670 AGP sejam o fim da linha.

Para quem tem uma GPU antiga e não quer gastar dinheiro em um beco sem saída, sobra a opção de tentar extrair algumas gotas a mais de desempenho fazendo overclock da GPU. Ele não vai fazer milagres, mas pelo menos não custará nada. 🙂

Receba nossas atualizações
Fique por dentro de todas as notícias e novidades do mundo da tecnologia!

Deixe uma resposta