Worldcoin afirma legalidade em países operacionais em meio à proibição espanhola

0
31

A afirmação da Worldcoin ocorre em meio aos recentes desenvolvimentos na Espanha, onde o órgão de fiscalização financeira do país, a Comissão Nacional do Mercado de Valores Mobiliários (CNMV), proibiu as operações da Worldcoin.

Worldcoin, uma start-up de verificação de identidade baseada em blockchain, reiterou a legalidade de suas operações em várias regiões. Em postagem no blog, a empresa revelou fatos essenciais sobre seu modo de operação, bem como as regras e regulamentos que a orientam. Embora a Worldcoin tenha encontrado obstáculos regulatórios em várias jurisdições, afirmou que mantém o seu compromisso com o cumprimento e adesão às leis locais.

Fatos essenciais sobre Worldcoin

A Worldcoin mencionou no blog que não compra ou troca dinheiro por dados biométricos, pois sua biometria Iris não pode ser comprada ou trocada por dinheiro. Notavelmente, o objetivo da Worldcoin é permitir o acesso universal ao financiamento e à identidade. A visão de longo prazo da Worldcoin é fornecer uma identidade digital verificada para todos em todo o mundo, algo que afirma não ter sido possível antes.

Ao fornecer uma identidade digital verificada, o Wordcoin visa combater a desigualdade económica, permitindo a participação equitativa na economia digital global. Worldcoin gira em torno do World ID, uma rede de identidade global que preserva a privacidade. Através do World ID, os indivíduos podem provar que são humanos reais em qualquer plataforma integrada ao protocolo.

Enquanto isso, o princípio geral é usar varreduras de íris baseadas em hardware especializado (o dispositivo Orb) para gerar identificadores exclusivos chamados World IDs. Quando uma pessoa se registra através do Orb, ele escaneia sua íris e gera um código numérico chamado IrisHash, que representa exclusivamente as características da íris daquela pessoa.

O IrisHash é comparado com um banco de dados no blockchain para verificar se a pessoa não se registrou antes. Se forem novos, é gerado um World ID vinculado a esse IrisHash.

No entanto, a afirmação da Worldcoin ocorre em meio aos recentes desenvolvimentos na Espanha, onde o órgão de fiscalização financeira do país, a Comissão Nacional do Mercado de Valores Mobiliários (CNMV), proibiu as operações da Worldcoin. A CNMV citou preocupações sobre a falta de autorização da Worldcoin para fornecer serviços de investimento ou realizar atividades relacionadas com valores mobiliários na Espanha.

Marco da Worldcoin alcançado apesar do escrutínio regulatório

Lembre-se de que a Worldcoin alcançou um marco importante no final de 2023, com 4 milhões de downloads de aplicativos nas lojas de aplicativos iOS e Android. O projeto de identidade digital foi lançado oficialmente em julho de 2023 em cerca de 20 países.

Depois de coletar as varreduras Iris do usuário, ele emite recompensas com seu token WLD nativo pós-verificação. Enquanto isso, o marco vem logo após as críticas recebidas pelo projeto de vários setores. A principal preocupação sobre o projeto é uma alegada falta de transparência em relação aos métodos de coleta e armazenamento de dados.

Na Alemanha, França, Coreia do Sul, Argentina e Reino Unido, as autoridades expressaram preocupações sobre a Worldcoin ou lançaram inquéritos sobre as suas atividades. Noutras partes do Quénia, uma comissão parlamentar que investiga o projeto recomendou o encerramento das atividades da startup no país.

Apesar do escrutínio, a Worldcoin decidiu espalhar seus tentáculos. Atualmente, a empresa expandiu-se para o México e Singapura, ao mesmo tempo que planeia levar as suas operações a mais países da Ásia.

próximo

Notícias Altcoin, Notícias sobre criptomoedas, Notícias

Fonte: www.coinspeaker.com

Receba nossas atualizações
Fique por dentro de todas as notícias e novidades do mundo da tecnologia!

Deixe uma resposta