Forbes revela 20 cripto-'zumbis' e declara Ripple e XRP entre os mortos-vivos

0
69

Em um relatório polêmico, a Forbes revelou uma lista de 20 “zumbis criptográficos de bilhões de dólares”. Camada 1 Tokens (L1), que o meio de comunicação define como ativos criptográficos com avaliações substanciais, mas “utilidade limitada além da negociação especulativa”.

Essas criptomoedas e projetos incluem Ripple, XRP, Ethereum Classic (ETC), Tezos (XTZ), Algorand (ALGO) e Cardano (ADA), entre outros.

XRP e Ethereum Classic em destaque

Ripple Labs, a empresa por trás do XRP, foi destacada como um cripto zumbi proeminente. Apesar do volume de negociação ativo do XRP de cerca de US$ 2 bilhões diários, a Forbes afirma que o objetivo principal do token permanece “especulativo” e “sem utilidade significativa”.

No entanto, Ripple Labs e XRP não estão sozinhos nesse aspecto. Forbes revela que 50 blockchain, excluindo Bitcoin (BTC) e Ethereum (ETH), atualmente são negociados a valores que ultrapassam US$ 1 bilhão, com pelo menos 20 deles classificados como “zumbis funcionais”. Coletivamente, esses 20 blockchains possuem um valor de mercado de US$ 116 bilhões, apesar de terem “bases de usuários limitadas”.

Os 20 principais projetos criptográficos “zumbis”, de acordo com a Forbes. Fonte: DeFi Ignas no X

Segundo a Forbes, um exemplo de “zumbi funcional” é o Ethereum Classic, que mantém a distinção de ser o original Ethereum corrente.

Embora a ETC tenha um valor de mercado de US$ 4,6 bilhões, sua geração de taxas em 2023 foi inferior a US$ 41.000, levantando questões sobre a viabilidade do blockchain para a organização de notícias.

Outro projeto criptográfico no relatório da Forbes é o Tezos, que arrecadou US$ 230 milhões por meio de uma oferta inicial de moedas (ICO) em 2017.

O token XTZ da Tezos detém atualmente uma capitalização de mercado de US$ 1,2 bilhão. No entanto, a taxa do blockchain ganhos eram escassos, com US$ 5.640 em fevereiro de 2024 e um total de US$ 177.653 para todo o ano de 2023.

Algorand, outrora aclamado como um “assassino de Ethereum” devido à sua capacidade de processar 7.500 transações por segundo, enfrenta desafios semelhantes.

Apesar de um valor de mercado de US$ 2 bilhões e uma participação em tesouraria de US$ 500 milhões, a Algorand ganhou US$ 63.000 em taxas de transação de blockchain ao longo de 2023. Para a Forbes, isso lança dúvidas sobre sua real adoção e utilidade.

Blockchains criptográficos 'zumbis'

Os blockchains zumbis são categorizados em dois grupos pela Forbes: spin-offs e concorrentes diretos de blockchains estabelecidos, como Bitcoin e Ethereum.

Os zumbis derivados incluem Bitcoin Cash (BCH), Litecoin (LTC), Monero (XMR), Bitcoin SV (BSV) e Ethereum Classic.

Essas blockchains, avaliadas coletivamente em US$ 23 bilhões, surgiram supostamente de “desentendimentos” entre programadores em relação à governança e direção do correntes originais.

A Forbes observa que quando tais conflitos surgem, ocorrem hard forks, resultando em novas redes que partilham o mesmo histórico de transações que as suas antecessoras. A agência afirma que o seu valor de mercado “muitas vezes excede” o seu uso no mundo real.

No geral, o relatório destaca uma disparidade crescente entre as avaliações de certos projetos na indústria de criptomoedas e sua real utilidade e uso. Consequentemente, a Forbes refere-se a estes projetos como “zumbis”.

Criptografia
O gráfico diário mostra a avaliação total do valor de mercado criptográfico em US$ 2,2 trilhões. Fonte: TOTAL em TradingView.com

Imagem em destaque da Shutterstock, gráfico de TradingView.com

Isenção de responsabilidade: o artigo é fornecido apenas para fins educacionais. Não representa a opinião do NewsBTC sobre comprar, vender ou manter quaisquer investimentos e, naturalmente, investir acarreta riscos. Aconselhamos que você conduza sua própria pesquisa antes de tomar qualquer decisão de investimento. Use as informações fornecidas neste site por sua conta e risco.

Fonte: www.newsbtc.com

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here