Suíça reprime a evasão fiscal criptografada com a próxima expansão da AEOI

0
37

A proposta do Conselho Federal Suíço de incluir ativos criptográficos no sistema de Troca Automática de Informações (AEOI) mostra o compromisso do país com o cumprimento e a transparência fiscais criptográficas.

O governo suíço está preparando uma política tributária para criptomoedas. Em 15 de maio de 2024, o Conselho Federal declarou que realizará processo de consulta para fins de Troca Automática de Informações (AEOI) para cobertura de criptoativos. Esta decisão tornará a Suíça mais alinhada internacionalmente com outros países no esforço para lidar com a evasão fiscal digital.

A AEOI concentrou-se anteriormente nas contas financeiras. Na era moderna, existem mais métodos de evasão fiscal. Através do desenvolvimento do Quadro de Relatórios de Criptoativos (CARF) pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE), esta questão está a ser resolvida.

O projeto de consulta propõe que o CARF seja implementado com um Padrão Comum de Relatórios (CRS) revisado. A Suíça declara que observará um elevado nível de transparência fiscal e compatibilidade com os padrões internacionais da OCDE.

O compromisso da Suíça com os impostos criptográficos

A implementação do CARF na Suíça mostra o seu compromisso com os impostos criptográficos. À medida que este processo puder ser adoptado, prevê-se que a Suíça tenha dados fiscais mais precisos, o que pode implicar receitas fiscais para o governo. Neste momento, a Suíça é vista como a ilha dos mais ricos em comparação com os investimentos tradicionais.

Embora a expansão proposta reforce o cumprimento das obrigações fiscais, alguns líderes da indústria manifestam preocupações sobre o seu impacto na competitividade da Suíça. Numa declaração recente, Thomas Schinecker, CEO da gigante farmacêutica Roche Holding AG, alertou contra o espelhamento das políticas fiscais europeias.

“A Suíça deu um passo atrás ao adotar o imposto mínimo da OCDE”, disse Thomas em Basileia na segunda-feira. Quando questionado sobre a capacidade do país para realizar negócios, destacou que a Alemanha e a França são países com impostos elevados e sublinhou que o país deve competir com a China, o Dubai e a Índia.

A estrada à frente

A proposta do Conselho Federal está atualmente aberta para consulta pública até 6 de setembro de 2024. Este período permite que as partes interessadas, incluindo representantes da indústria, profissionais tributários e o público, expressem suas opiniões e potencialmente influenciem o desenho final da extensão AEOI.

Sujeito à aprovação parlamentar e implementação bem-sucedida, espera-se que as novas regras AEOI entrem em vigor em 1º de janeiro de 2026. Este cronograma fornece tempo suficiente para as partes relevantes, incluindo provedores de serviços de criptoativos, adaptarem seus sistemas e processos para cumprir com o novo requisitos de relatórios.

A integração de criptoativos no sistema AEOI representa um desenvolvimento significativo para o cenário financeiro da Suíça. Resta saber como esta medida será recebida pela comunidade mais ampla de criptomoedas e se alcançará o equilíbrio certo entre a promoção da inovação e a garantia de uma tributação justa.

próximo

Notícias sobre criptomoeda, notícias

Fonte: www.coinspeaker.com

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here