Sam Bankman-Fried aborda déficit de US$ 8 bilhões no balanço patrimonial

0
376

Todo o mercado criptográfico sangrou com múltiplas perdas e desvalorização de ativos após o colapso da bolsa criptográfica FTX de Sam Bankman-Fried. Além disso, as empresas criptográficas expostas ao FTX receberam uma parte justa da pílula amarga.

Investigações estão em andamento para determinar a localização do buraco de US$ 8 bilhões no balanço patrimonial da FTX, que causou a crise de liquidez.

O déficit no balanço da FTX continuou crescendo. A empresa inicialmente declarou apenas US$ 2 bilhões e depois disse que eram US$ 5 bilhões. O buraco agora cresceu para mais de US $ 8 bilhões.

Em uma entrevista recente à Bloomberg, Sam Bankman-Fried (SBF), ex-CEO da FTX, revelou o paradeiro dos fundos. SBF disse que mostrou aos investidores um balanço separado em um resgate de emergência.

De acordo com o relatório, a SBF listou US$ 8,9 bilhões em dívidas, US$ 9 bilhões em ativos líquidos e US$ 15,4 bilhões em ativos menos líquidos. O relatório também mencionou US$ 3,2 bilhões em ativos ilíquidos.

Sam Bankman-Fried revela balanços conflitantes

Ele revelou outro balanço mostrando a situação real no momento da reunião de resgate. O balanço apresenta números semelhantes, mas US$ 8 bilhões menos ativos líquidos. A SBF disse que citou erroneamente os números.

Ele acrescentou que os clientes estavam transferindo dinheiro para a Alameda Research em vez de enviá-lo diretamente para a FTX. De acordo com sua declaração, o sistema de auditoria interna da FTX contou duas vezes o valor e creditou-o a ambas as empresas.

Após a declaração da SBF, a FTX e a Alameda Research tiveram o maior fluxo de caixa, mas a rival Binance se tornou a despesa mais alta. Ele pagou um valor líquido de US$ 2,5 bilhões para comprar os investimentos da Binance. A SBF também revelou que gastou US$ 250 milhões em imóveis e cerca de US$ 1,5 bilhão em outras despesas.

Cerca de US$ 4 bilhões e US$ 1,5 bilhão foram investidos em capital de risco para adquirir outras empresas, enquanto eles contaram US$ 1 bilhão por engano.

O relatório também afirmou que a SBF e os demais funcionários passaram o fim de semana anterior tentando arrecadar fundos. Os fundos são para preencher o buraco de US$ 8 bilhões no balanço patrimonial da FTX e reembolsar os clientes.

Causa do colapso do FTX: fraude ou má administração?

Enquanto isso, a maioria das pessoas no espaço criptográfico diz que a crise do FTX é uma fraude e não um acidente. Na quarta-feira, durante sua primeira aparição pública após o colapso da FTX, Bankman-Fried insistiu que não cometeu fraude. Ele alegou que não sabia a extensão dos danos e o que estava acontecendo com o FTX.

Em entrevista ao The New York Times, a SBF culpou o colapso da bolsa FTX de US$ 32 bilhões por falhas de contabilidade e gerenciamento. Este comentário desencadeou investigações civis e criminais. A investigação visa determinar se a FTX cometeu um crime ao emprestar fundos de clientes para a Alameda Research.

Mercado de criptomoedas registra novos ganhos | Fonte: Valor de mercado total da criptomoeda em TradingView.com

No entanto, o novo CEO da FTX, John Ray III, encarregado do processo de falência da empresa, expressou repulsa pela situação. Em suas palavras, Ray disse que nunca tinha visto uma falha tão completa de controle corporativo, condenando a SBF por práticas de gestão inaceitáveis.

Featured image from Texas Tribune, chart from TradingView.com

Fonte: newsbtc.com

Receba nossas atualizações
Fique por dentro de todas as notícias e novidades do mundo da tecnologia!

Deixe uma resposta