OP_CAT e ossificação de Bitcoin com Andrew Poelstra da Blockstream

0
39

Em uma entrevista recente para a Bitcoin Magazine, Shinobi conversou com Andrew Poelstra da Blockstream para discutir a ambiciosa proposta de seu colega Rusty Russell. Rusty planeja restaurar vários recursos abandonados do código do Bitcoin, uma medida ousada que pode melhorar significativamente a funcionalidade e a expressividade dos scripts do Bitcoin.

Compreendendo o novo modelo de custeio

Um dos aspectos centrais da proposta da “Grande Restauração de Script” é a introdução de um novo modelo de custeio para opcodes. Atualmente, no Bitcoin, toda operação custa o mesmo, independente de sua complexidade computacional. Este modelo, no entanto, não reflete com precisão o verdadeiro custo da execução do script, levando a potenciais ineficiências e limitações. O novo modelo de custeio de Rusty procura resolver isso atribuindo custos diferentes aos opcodes com base em seus requisitos computacionais. Esta abordagem é um afastamento significativo do modelo existente e se alinha mais estreitamente com a forma como os custos computacionais são tratados em outras plataformas blockchain como Ethereum.

Andrew Poelstra destacou os potenciais benefícios e desafios deste novo modelo. “O novo modelo de custeio é muito interessante e é uma espécie de afastamento da forma como o Bitcoin funciona hoje”, observou ele. O novo modelo garantiria que os scripts tivessem preços mais justos com base nos recursos que consomem, evitando potencialmente ataques de spam e outros problemas.

Desafios e construção de consenso

A implementação deste plano não está isenta de desafios. Uma grande preocupação é a complexidade de determinar o tempo de execução dos scripts. No Ethereum, por exemplo, as transações têm um limite de gás para evitar computação excessiva. Poelstra reconheceu as semelhanças, afirmando: “Vou dizer algo meio cruel aqui e dizer que isso parece gás, certo?” No entanto, ele enfatizou que, diferentemente do Ethereum, onde ficar sem gás ainda custa ao usuário, no Bitcoin uma transação falhada não resulta em perda de fundos.

Para avançar, a comunidade de desenvolvedores Bitcoin precisa construir um consenso em torno deste plano. Poelstra mencionou uma mudança notável na atitude da comunidade em relação à expressividade do roteiro nos últimos meses. Esta mudança deve-se em parte ao surgimento de novos casos de utilização e à constatação de que abordagens restritivas podem dificultar a inovação. “Houve um tipo de mudança de humor realmente interessante na comunidade de desenvolvedores de Bitcoin nos últimos, assim como nos últimos seis meses”, observou ele.

Abordando a Ossificação do Bitcoin

O caminho a seguir envolve vários passos importantes. Em primeiro lugar, os desenvolvedores precisam redigir uma proposta adequada, incluindo implementações de referência e vetores de teste. Esta proposta será então revisada e discutida dentro da comunidade para coletar feedback e construir consenso. Poelstra enfatizou a importância desse processo, afirmando: “Inicialmente as etapas são bastante diretas, certo? Você escreve uma proposta adequada, tem uma notação de referência, escreve vetores de teste e obtém benchmarks.”

Uma parte significativa do processo de construção de consenso envolverá a abordagem do debate em torno da ossificação – a ideia de que o protocolo do Bitcoin deve permanecer inalterado para preservar a estabilidade e a segurança. Alguns membros da comunidade, conhecidos como ossificacionistas, acreditam que o Bitcoin deve resistir às mudanças para evitar a introdução de potenciais vulnerabilidades e manter a sua robustez atual. Poelstra reconhece esta preocupação, mas argumenta que certas mudanças, como a proposta de Rusty, são necessárias para o crescimento e funcionalidade contínuos do Bitcoin.

O debate centra-se em saber se os riscos associados às mudanças superam os benefícios. Poelstra destacou que o Bitcoin já está evoluindo, citando o surgimento de ordinais e inscrições como exemplos de como a rede está sendo usada de maneiras novas e imprevistas. Ele enfatizou que a recusa em se adaptar poderia limitar o potencial do Bitcoin e que os incentivos econômicos dentro da rede irão naturalmente definir as prioridades de uso.

“Precisamos conversar com pessoas que se identificam como ossificacionistas ou que poderíamos chamar de ossificacionistas, certo? Pessoas que não querem que o Bitcoin mude. Bitcoin”, disse Poelstra. Ele acredita que, ao articular claramente os benefícios da maior expressividade da escrita e ao abordar as preocupações dos ossificacionistas, pode ser alcançado um consenso equilibrado e informado.

Além disso, Poelstra destacou que, embora a mudança traga riscos, ela também abre oportunidades para melhorias essenciais, como melhor escalabilidade, maior segurança através de cofres e uso mais eficiente do espaço blockchain com mecanismos como pools de moedas. Essas melhorias podem tornar o Bitcoin mais robusto e adaptável às necessidades futuras.

Os próximos passos envolvem não apenas o processo técnico de formalização da proposta e realização de testes exaustivos, mas também o envolvimento num diálogo mais amplo dentro da comunidade. Este diálogo terá de equilibrar a preservação dos princípios fundamentais da Bitcoin com a necessidade de inovação e adaptação, garantindo que a rede possa continuar a prosperar e a satisfazer as crescentes exigências dos seus utilizadores.

Conclusão

O plano de Rusty de tornar o script Bitcoin excelente novamente representa um passo significativo para melhorar a expressividade da rede Bitcoin. Embora existam desafios a superar, os benefícios potenciais em termos de funcionalidade e inovação são substanciais. À medida que a comunidade de desenvolvedores Bitcoin continua a evoluir e a abraçar novas ideias, propostas como esta serão cruciais para moldar o futuro da rede.

Fonte: bitcoinmagazine.com

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here