NRA e Cantero no Supremo Tribunal Federal: Implicações para a Operação Choke Point 2.0 e Banco de Custódia

0
38

Ontem, a Suprema Corte dos Estados Unidos emitiu dois casos importantes que provavelmente terão impactos abrangentes para Bitcoin e criptografia. As decisões são Associação Nacional de Rifles da América v. (ARN) e Cantero, et ai. v. Bank of America, N.A. (Cortador de pedra).

Em ARN, o Tribunal abordou uma questão crítica que afectava não apenas os grupos de defesa tradicionais, mas também qualquer indústria desfavorecida, mas legal. Esta decisão traça paralelos com a Operação Choke Point 2.0, onde os reguladores dos EUA supostamente têm como alvo as empresas criptográficas através da exclusão financeira. Além disso, a recente Cortador de pedra A decisão esclarece como este quadro jurídico pode impactar o recurso do Banco Custódia contra a negação da sua conta principal pela Reserva Federal.

O caso da NRA

A National Rifle Association (NRA) processou Maria Vullo, antiga superintendente do Departamento de Serviços Financeiros de Nova Iorque (DFS), alegando que ela usou a sua autoridade reguladora para coagir as instituições financeiras a romperem os laços com a NRA. A NRA alegou que esta era uma supressão inconstitucional dos seus direitos da Primeira Emenda.

Vullo argumentou que suas ações visavam práticas e relacionamentos comerciais, que ela alegou serem “atividades não expressivas” e não discurso e, como tal, não eram coerção inconstitucional. No entanto, o Supremo Tribunal considerou este argumento equivocado. “Aquele Vullo 'regula[d]' atividades comerciais decorrentes das 'relações com seguradoras e bancos' da NRA, não altera as alegações de que suas ações visavam punir ou suprimir o discurso. Ver ARN decisão, página 17 (citações internas omitidas, grifo nosso).

O Supremo Tribunal anulou a decisão do Segundo Circuito a favor de Vullo e devolveu o caso, reiterando, mais uma vez, que os funcionários do governo não podem usar a coerção para punir ou suprimir indiretamente o discurso ou a defesa desfavorecidos.

Operação Choke Point

A Operação Choke Point foi uma iniciativa do Departamento de Justiça (DOJ) que visa “sufocar” negócios considerados de alto risco, negando-lhes acesso a redes bancárias e de pagamento. Embora estes negócios, tais como revendedores de armas de fogo, credores de pagamento e entretenimento adulto, fossem legais, o DOJ pressionou os bancos a encerrar relações com eles, alegando “risco de reputação”. Esta iniciativa coagiu efetivamente os bancos a cumprirem a lei sob a ameaça de investigação federal, impactando significativamente os negócios legítimos em vários setores. O FDIC finalmente resolveu uma ação judicial relacionada à Operação Choke Point em 2019.

A Operação Choke Point 2.0, um termo cunhado para descrever as supostas ações dos reguladores dos EUA contra a indústria de criptomoedas, envolve uma série de orientações informais e pressões regulatórias destinadas às instituições financeiras para limitar ou encerrar seus relacionamentos com empresas de criptomoedas. Isto reflecte a Operação Choke Point original e ilegal, que visava indústrias como o empréstimo consignado e a venda de armas de fogo, sem o devido processo ou justificação legal clara.

Assim como em ARNa Operação Choke Point 2.0 envolve autoridades reguladoras que ultrapassam os seus limites e usam influência indevida e coerção total contra intervenientes desfavorecidos, mas legais. ARN sublinha que tais excessos, especialmente quando utilizados para suprimir pontos de vista ou indústrias específicas, são inconstitucionais. Em ambos os cenários, os reguladores são acusados ​​de usar o seu poder para impor uma posição ideológica em vez de seguirem mandatos legais explícitos.

O cerne do argumento da NRA era que as ações de Vullo eram uma violação dos seus direitos da Primeira Emenda. Da mesma forma, se os reguladores visarem as empresas criptográficas devido a um ponto de vista desfavorecido sobre a descentralização e a autonomia financeira, isto poderá constituir uma violação semelhante. A decisão do Supremo reforça que a supressão indireta do discurso por meio da coerção é inconstitucional.

ARN também destaca questões significativas do devido processo, em que às entidades afetadas é negada uma oportunidade justa de se defenderem contra ações regulatórias encobertas. As empresas criptográficas que enfrentam encerramentos repentinos de contas e restrições bancárias sem explicações claras ou recurso ecoam a experiência da NRA, levantando sérias preocupações com o devido processo.

Finalmente, e isto é um pouco de especulação, agora que o Supremo Tribunal o declarou claramente, pode-se argumentar que a Imunidade Qualificada não deve ser estendida a funcionários do governo que violam conscientemente a Constituição quando coagem ou tentam coagir a violação da Primeira Emenda. direitos. A remoção da imunidade qualificada significa que esses funcionários podem então ser detidos pessoalmente responsável por violar a Constituição.

O Cortador de pedra Decisão e suas implicações para o Banco Custodia

O Cortador de pedra O caso envolvia o Bank of America, um banco nacional, e se este era obrigado a pagar juros sobre contas de garantia, conforme exigido pela lei do estado de Nova Iorque. O tribunal do Segundo Circuito rejeitou o caso com base no argumento de que a lei de Nova Iorque foi anulada pelas leis federais, mas não se envolveu na necessária análise completa desta questão. O Supremo Tribunal decidiu por unanimidade que, embora as leis estaduais que interfiram significativamente com os poderes dos bancos nacionais sejam revogadas, o Congresso forneceu um processo detalhado, descrito na Lei Dodd-Frank, para determinar se a preempção é apropriada. O Tribunal reverteu o Segundo Circuito, exigindo que o Tribunal do Circuito se envolvesse plenamente numa revisão completa das questões.

Como parte desta decisão, o Tribunal reiterou que:

Os Estados Unidos mantêm um sistema bancário duplo, composto por sistemas bancários federais e estaduais paralelos. Esse sistema duplo permite que os bancos privados escolham se desejam obter uma licença do Governo Federal ou de um governo estadual.

Os bancos com licenças federais, chamados bancos nacionais, estão sujeitos principalmente à supervisão e regulamentação federal. E os bancos com licenças estatais, chamados bancos estatais, estão sujeitos a supervisão e regulamentação estatal adicional. Esses dois sistemas bancários coexistem e competem.

Cortador de pedra salienta que a constatação de uma interferência significativa das leis estatais nos poderes bancários nacionais exige uma análise matizada, alinhada com a Lei Dodd-Frank e com precedentes anteriores do Supremo Tribunal, e sublinha, a alto nível, tanto explícita como implicitamente, que o sistema bancário duplo ainda está vivo e bem.

No entanto, se a Reserva Federal puder exercer mais do que o poder discricionário ministerial ao negar contas mestras a bancos licenciados pelo Estado, toda a existência do sistema bancário dual poderá, ela própria, tornar-se nula. Indo mais longe, se os bancos regionais da Reserva Federal tiverem de facto discricionariedade para conceder ou negar contas principais (como foi sustentado pelo Juiz Skavdhal na decisão do tribunal distrital de Custódia), e, como é sustentado pelo Fed de Kansas City, os Bancos da Reserva regionais são privados , então os mesmos argumentos de influência e coerção indevida de ARN também pode ser aplicada aqui.

Conclusão

As decisões do Supremo Tribunal em ARN e Cortador de pedra ambos fornecem etapas para lidar com o excesso federal relacionado ao Bitcoin, impactando tanto a Operação Choke Point 2.0 quanto o acesso do Banco de Custódia ao sistema financeiro. Enquanto ARN é mais imediatamente útil e acredito que será usado em breve para atacar aspectos da Operação Choke Point 2.0 e desbancarizar indústrias e indivíduos legais, mas desfavorecidos, Cortador de pedra parece sugerir que Custódia tem bases sólidas no seu apelo. Mas a um nível mais geral, expõe ainda mais a natureza desenfreada do estado administrativo moderno que também vimos implantado contra a mineração de Bitcoin no caso da EIA.

Pequenas vitórias, sim. Mas, assim como empilhar sats, eles constroem.

Este é um post convidado de Colin Crossman. As opiniões expressas são inteiramente próprias e não refletem necessariamente as da BTC Inc ou da Bitcoin Magazine.

Fonte: bitcoinmagazine.com

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here