Microsoft encontra obstáculo na Grã-Bretanha em relação ao acordo com a Activision

0
293

Após a decisão da CMA de vetar o acordo Microsoft-Activision na Grã-Bretanha, a gigante do software de computador planeja apelar.

A Autoridade de Concorrência e Mercados da Grã-Bretanha bloqueou a aquisição da editora de jogos Activision Blizzard (NASDAQ: ATVI) pela Microsoft. Na quarta-feira, o principal regulador do Reino Unido se opôs à aquisição da editora “Call of Duty” pela Microsoft. Este veredicto vem um mês depois que o CMA do Reino Unido considerou o controle iminente da gigante da tecnologia da Activision não ameaçador para a competição de videogames. No entanto, o regulador da concorrência britânico agora acredita que a propriedade da Activision pela Microsoft pode prejudicar a concorrência no mercado de jogos em nuvem.

Em um comunicado à imprensa, o CMA explicou:

“Permitir que a Microsoft assuma uma posição tão forte no mercado de jogos em nuvem no momento em que começa a crescer rapidamente arriscaria minar a inovação que é crucial para o desenvolvimento dessas oportunidades”.

O departamento governamental não ministerial com sede em Londres também teme que a Microsoft Corporation (NASDAQ: MSFT) possa comandar os jogos da Activision exclusivamente para sua plataforma de jogos em nuvem. Tal movimento potencial permitiria apenas o acesso do Xbox Game Pass à alardeada biblioteca do editor às custas de outros jogadores importantes.

Microsoft lamenta decisão da CMA de bloquear acordo com a Activision na Grã-Bretanha

A decisão da CMA de bloquear a aquisição da editora de jogos por US$ 69 bilhões pela Microsoft é um duro golpe para a gigante do software de computador. A Microsoft esperava convencer as autoridades britânicas de que sua propriedade da Activision ainda beneficiaria a concorrência. No entanto, a empresa com sede em Redmond, Washington, planeja apelar da decisão.

Embora os jogos em nuvem ainda estejam em sua fase inicial, a Microsoft já identificou a tecnologia como a próxima maneira popular de jogar. A gigante da tecnologia tentou anteriormente amenizar as preocupações da CMA em relação a quaisquer tendências monopolistas percebidas – mas não conseguiu. As concessões da Microsoft incluem o compartilhamento de propriedades específicas de jogos da Activision com outros rivais por um período prolongado.

No entanto, a CMA se perguntou se tais acordos se manteriam ao longo do tempo em um mercado cada vez mais dinâmico. Dados os termos e condições oferecidos pela Microsoft, o regulador do Reino Unido disse que “existem riscos significativos de desacordo e conflito entre a Microsoft e os provedores de serviços de jogos em nuvem, particularmente durante um período de dez anos em um mercado em rápida mudança”.

Enquanto isso, expressando o compromisso inabalável da Microsoft com a aquisição da Activision, o vice-presidente e presidente da Microsoft, Brad Smith, disse:

“Continuamos comprometidos em reforçar esses acordos por meio de remédios regulatórios.”

Smith explicou ainda que a Microsoft já havia assinado contratos que tornariam os jogos da Activision disponíveis em centenas de milhões de dispositivos. O vice-presidente da empresa expressou desapontamento com a decisão da CMA após “longas deliberações”. De acordo com Smith, o veredicto da CMA rejeita uma maneira prática de lidar com questões de concorrência e reflete uma compreensão falha do mercado de jogos em nuvem. Além disso, Smith apontou que a postura da CMA desencoraja a inovação e o investimento em tecnologia.

CEO da Activision confiante em audiência favorável no processo de apelação

O CEO da Activision, Bobby Kotick, informou a equipe sobre o processo de apelação conjunta da editora de videogames com a Microsoft em uma carta aos funcionários. Kotick estava confiante em uma audiência justa do Tribunal de Apelações de Concorrência do Reino Unido porque o negócio era bom para a concorrência.

próximo

Notícias de negócios, notícias de negócios, notícias de jogos, notícias de mercado, notícias

Tolu é um entusiasta de criptomoedas e blockchain baseado em Lagos. Ele gosta de desmistificar as histórias criptográficas até o básico, para que qualquer pessoa em qualquer lugar possa entender sem muito conhecimento prévio. Quando não está envolvido em histórias criptográficas, Tolu gosta de música, adora cantar e é um ávido amante de filmes.

Fonte: www.coinspeaker.com

Receba nossas atualizações
Fique por dentro de todas as notícias e novidades do mundo da tecnologia!

Deixe uma resposta