Hong Kong avança em testes de e-HKD no varejo para transações hipotecárias e de empréstimos

0
29

A próxima fase envolverá um estudo mais aprofundado da tecnologia, dos planos de negócios e das leis necessárias para o uso do e-HKD nas transações.

A Autoridade Monetária de Hong Kong (HKMA) continuou a testar o seu e-HKD de retalho, a versão digital proposta da sua moeda local. As autoridades já conduziram uma experiência de seis meses para garantir o bom funcionamento da moeda virtual. Agora, eles estão passando para a próxima etapa, testando como funciona a precificação e a distribuição de hipotecas.

Um comunicado do South China Morning Post revelou que a próxima fase envolverá um estudo mais aprofundado da tecnologia, dos planos de negócios e das leis necessárias para o uso do e-HKD nas transações. Este teste será realizado com alguns participantes selecionados para ver como a moeda poderia funcionar para hipotecas e outras atividades de concessão e contração de empréstimos.

Tokenização de Ativos e Potencial Quadro Regulatório

Atualmente, em fase experimental, espera-se que a moeda digital proposta acelere o processo de empréstimo de fundos de mais de um credor sem a necessidade de visitar bancos. Eles também terão taxas preferenciais e garantirão que os mutuários recebam seus empréstimos mais rapidamente. No entanto, ainda não se sabe se a autoridade de Hong Kong formará um novo órgão regulador para supervisionar as atividades relacionadas com hipotecas e práticas de empréstimo envolvendo e-HKD.

No programa piloto inaugural do e-HKD, empresas importantes como Boston Consulting Group (BCG), HKT Payment e ZA Bank são da opinião de que a adoção do e-HKD poderia abrir ainda mais o caminho para a tokenização de diversos ativos, aumentando o número de ativos disponíveis para tokenização. De acordo com as estimativas do BCG, os ativos disponíveis para tokenização em Hong Kong são de cerca de HK$ 36 trilhões, cerca de US$ 46 trilhões, e compreendem principalmente propriedades residenciais. A tokenização dos ativos pode facilmente disponibilizá-los como garantia ao usar moeda digital, uma vez que todos são facilmente acessíveis.

Além de facilitar o empréstimo às pessoas, os credores também poderiam se beneficiar do e-HKD. Eles podem facilmente reduzir as taxas, uma vez que a digitalização de todo o processo o torna menos arriscado para os credores. No caso de os mutuários não cumprirem os seus empréstimos, os credores podem facilmente tomar posse das garantias envolvidas para recuperar o seu dinheiro. Todo o processo seria automatizado com a utilização de contratos inteligentes, garantindo que nenhuma parte fosse enganada e que o contrato só funcionasse conforme acordado.

Adotando moedas digitais e melhorando o acesso financeiro

Este novo desenvolvimento surge após o recente lançamento do yuan digital na China, que foi disponibilizado nas lojas locais de Hong Kong. A moeda digital, e-CNY, só pode ser usada por residentes de Hong Kong, podendo depositar até 10 mil CNY em suas carteiras.

Com a tendência crescente de instituições financeiras investirem em ativos digitais, como títulos tokenizados e imóveis, a necessidade de uma moeda digital como o e-HKD para acelerar as transações e torná-las mais fáceis torna-se convincente.

De acordo com Raymond Chan, vice-presidente do Instituto de Tecnólogos Financeiros da Ásia, a tokenização de ativos torna-os mais líquidos, tornando-os mais acessíveis a uma gama mais ampla de investidores. Ele acrescentou que os bancos verão uma oportunidade de oferecer ativos de custódia para ativos tokenizados, proporcionando assim segurança e confiança aos investidores que detêm esses ativos digitais.

próximo

Notícias Altcoin, Notícias sobre criptomoedas, Notícias

Fonte: www.coinspeaker.com

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here