Gemini sai da Holanda devido a desafios regulatórios

0
99

A Holanda assumiu a liderança entre os estados membros da União Europeia ao exigir que as empresas de criptografia aderissem à 5ª Diretiva Antilavagem de Dinheiro (5AMLD).

A principal bolsa de criptomoedas Gemini decidiu interromper suas operações na Holanda, citando os crescentes obstáculos regulatórios impostos pelo banco central holandês De Nederlandsche Bank (DNB). A mudança segue os passos da Binance, outra plataforma de negociação de ativos digitais que se retirou do mercado no início deste ano devido a restrições regulatórias semelhantes.

Numa declaração enviada por e-mail aos seus utilizadores holandeses em 26 de setembro, a Gemini comunicou a sua intenção de suspender os seus serviços nos Países Baixos, a partir de 17 de novembro de 2023.

Gemini sairá da Holanda devido à pressão regulatória

Gemini explicou no e-mail que a decisão foi influenciada por exigências rigorosas impostas pelo banco central do país, DNB, às exchanges de criptomoedas.

No entanto, a empresa planeia regressar ao mercado holandês assim que obtiver a aprovação regulamentar total das autoridades competentes, em conformidade com a nova lei europeia sobre criptomoedas, o Regulamento de Mercados de Criptoativos (MiCA).

“A Gemini continua empenhada em trabalhar em colaboração com reguladores em todo o mundo e está focada em preparar o nosso negócio para estar em total conformidade com as novas regras da UE sobre criptoativos, conforme estabelecido no Regulamento de Mercados para Criptoativos (MiCA). , pelo que esperamos poder oferecer serviços de criptoativos a clientes baseados na Holanda no futuro.”

Usuários Gemini têm até 17 de novembro para sair da plataforma

A bolsa com sede em Nova York solicitou aos usuários que começassem a retirar seus ativos da plataforma, pois a bolsa encerrará completamente as operações em 17 de novembro.

“Pedimos gentilmente que você esvazie sua conta Gemini e garanta que não tenha mais saldo em sua conta a partir de 17 de novembro de 2023. Agradecemos seu apoio ao longo dos anos e esperamos que você entenda nossa direção”, escreveu o empresa.

Para permitir a transferência segura de fundos, a empresa sugeriu que os usuários transferissem seus ativos para a bolsa local Bitvavo, que está devidamente registrada nas jurisdições do DNB como uma bolsa de criptografia.

No entanto, os utilizadores não estão limitados ao Bitvavo, uma vez que a bolsa incentivou os seus clientes holandeses a escolher qualquer plataforma ou carteira preferida para a transferência.

Cenário cripto-regulatório na Holanda

A Holanda assumiu a liderança entre os estados membros da União Europeia ao exigir que as empresas de criptografia aderissem à 5ª Diretiva Antilavagem de Dinheiro (5AMLD). De acordo com essas regulamentações, os Provedores de Serviços de Ativos Virtuais (VASPs) tiveram que fornecer informações de identificação sobre si mesmos e seus clientes.

Em Novembro de 2020, o país exigiu que os VASPs recolhessem informações adicionais antes de finalizar qualquer transacção. Isso incluiu a verificação da propriedade efetiva e o fornecimento de prova de propriedade de uma carteira Bitcoin.

Porém, em maio de 2021, a exigência foi rescindida. O DNB supostamente reconheceu a necessidade de adotar uma abordagem mais baseada no risco para a conformidade com o Combate à Lavagem de Dinheiro (AML).

O cenário regulatório holandês para criptomoedas tornou-se notavelmente rigoroso quando a Binance retirou seus serviços do país em julho. A saída da Binance foi motivada pela impossibilidade de obter uma licença VASP do DNB, que serve como prova de conformidade com os protocolos AML estabelecidos no país.

No início deste ano, em janeiro, o DNB multou a Coinbase por operar no país sem a devida autorização das autoridades. Posteriormente, a empresa obteve aprovação e foi licenciada para atender legalmente seus clientes na região.

Até o momento, outras exchanges de criptomoedas, como Crypto.com, BitPay e eToro, estão licenciadas para operar no país.

próximo

Notícias Blockchain, Notícias sobre criptomoedas, Notícias

Chimamanda é uma entusiasta da criptografia e escritora experiente com foco no mundo dinâmico das criptomoedas. Ela ingressou na indústria em 2019 e desde então desenvolveu interesse pela economia emergente. Ela combina sua paixão pela tecnologia blockchain com seu amor por viagens e comida, trazendo uma perspectiva nova e envolvente ao seu trabalho.

Fonte: www.coinspeaker.com

Receba nossas atualizações
Fique por dentro de todas as notícias e novidades do mundo da tecnologia!

Deixe uma resposta