SMIC sustenta queda de receita anual de 20,6% no primeiro trimestre de 2023 para registrar o primeiro déficit de receita em três anos

0
332

A potência chinesa de chips SMIC viu a receita do primeiro trimestre cair para US$ 1,46 bilhão, uma vez que continua a resistir à escassez de chips e às sanções comerciais dos EUA.

A Semiconductor Manufacturing International Corporation (SMIC) viu sua receita cair de acordo com seus últimos números trimestrais. Na sexta-feira, a gigante chinesa da fabricação de chips registrou receita de US$ 1,46 bilhão no primeiro trimestre de 2023 em meio a parâmetros macroeconômicos desafiadores. Além de cair 20,6% em relação ao ano anterior (YoY), a mais recente receita da SMIC representa o primeiro déficit de receita em mais de três anos. A última vez que a fabricante de semicondutores com sede em Xangai experimentou uma queda nas vendas foi no terceiro trimestre de 2019.

A queda na receita da SMIC também se estendeu ao lucro líquido, que caiu 48% em relação ao ano anterior, para US$ 231,1 milhões. Como a maior fabricante de chips contratada da China continental, a SMIC espera eventualmente alcançar seus rivais regionais, especialmente a Taiwan Semiconductor Manufacturing Company (TSMC). No entanto, as ambições da SMIC de impulsionar a indústria doméstica de semicondutores da China sofreram um revés quando a empresa incorreu em sanções dos EUA em 2020. Na época, Washington colocou a SMIC em uma lista negra comercial chamada Entity List, cortando efetivamente o principal fabricante de chips do Leste Asiático de recursos essenciais de produção. Como resultado, a SMIC tem lutado para fabricar semicondutores de ponta mais avançados de forma competitiva.

Apesar da produção ficar atrás da TSMC e da Samsung, bem como das restrições impostas pelas sanções dos EUA, a SMIC registrou receita recorde ao longo do ano passado. Em fevereiro, a empresa registrou uma receita para o ano de 2022 de US$ 7,2 bilhões, representando um aumento de 34% em relação ao ano passado. Além disso, a SMIC teve uma margem bruta de 38%, seu segundo ano de crescimento de vendas acima de 30%.

SMIC Exec atribui queda de receita à escassez global de chips que também afeta outros players de semicondutores

Os executivos da SMIC atribuíram a última queda de receita à queda na demanda devido à escassez contínua de chips. Em teleconferência de resultados, o copresidente-executivo da empresa, Zhao Haijun, admitiu que as perspectivas de recuperação no segundo semestre do ano permanecem incertas. A queda nos lucros da SMIC também ocorreu em meio a revisões de perspectivas operacionais e de negócios por outros fabricantes líderes de chips, como TSMC e Samsung.

O impacto do excesso global de chips fez com que a TSMC atualizasse recentemente sua previsão de receita para 2023 de um leve crescimento para um declínio menor de um dígito. Enquanto isso, a potência de semicondutores dos EUA Intel (NASDAQ: INTC) antecipa uma perda de 4 centavos por ação no segundo trimestre de 2023. A perspectiva sombria da Intel veio depois que a empresa com sede em Santa Clara relatou seu déficit trimestral mais significativo no mês passado. No entanto, o CEO da Intel, Pat Gelsinger, permaneceu otimista na época, concentrando-se em pontos positivos na agenda do fabricante de chips. Enfatizando que o sombrio resultado financeiro da Intel no primeiro trimestre aludia ao constante progresso transformacional da empresa, Gelsinger explicou:

“Embora permaneçamos cautelosos com as perspectivas macroeconômicas, estamos focados no que podemos controlar à medida que entregamos o IDM 2.0: conduzindo uma execução consistente em processos e roteiros de produtos e avançando em nossos negócios de fundição para nos posicionar melhor para capitalizar a oportunidade de mercado de US$ 1 trilhão. à frente.”

O diretor financeiro da Intel, David Zinsner, também avaliou seu desempenho, explicando que superou as expectativas. Além disso, na época, o CFO acrescentou que a Intel continuava comprometida com o exercício da disciplina na gestão de despesas. Zinsner disse que a gigante da tecnologia continuará gerando eficiência e economia de custos.

próximo

Notícias de negócios, notícias de mercado, notícias

Tolu é um entusiasta de criptomoedas e blockchain baseado em Lagos. Ele gosta de desmistificar as histórias criptográficas até o básico, para que qualquer pessoa em qualquer lugar possa entender sem muito conhecimento prévio. Quando não está envolvido em histórias criptográficas, Tolu gosta de música, adora cantar e é um ávido amante de filmes.

Fonte: www.coinspeaker.com

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here