Energia e Bitcoin: uma analogia integrada

0
124

Você já olhou para as estrelas e percebeu como tudo no universo parece conectado? O famoso inventor e engenheiro Nikola Tesla pensava que esta ligação tem tudo a ver com energia, com que frequência as coisas vibram e com a forma como se movem. Eu também acredito nisso; nossas percepções de todos os aspectos da vida podem ser percebidas como uma transferência de energia, uma equação simples. Vamos parar um momento para ver as interações aparentemente aleatórias no mundo como a sua própria versão de uma transação de energia. As analogias a seguir são diferentes maneiras de nos ajudar a pensar sobre a energia, especialmente como a usamos e compartilhamos, ao mesmo tempo que respeitamos a sabedoria da natureza. Então, é claro, voltaremos a como tudo isso se relaciona com a compreensão de como o Bitcoin se encaixa em… ouso dizer “consertar”… isso.

Focando no interno, a energia flui de diversas maneiras. Para ter a energia necessária para vencer o dia, devo alimentar meu corpo uma quantidade necessária de nutrientes. Calorias são literalmente unidade de energia na comida. Aprendi muito recentemente sobre os benefícios de comer proteínas de qualidade (como bife e ovos), bem como os aspectos negativos de alimentos processados, óleos de sementes, etc. nós somos o que comemos, o que afeta diretamente meu nível de inflamação e também meu estado emocional. Se eu não carregar minha bateria através de um sono de qualidade, não vou tenha energia suficiente para passar o dia. Meu avô sempre dizia “dormir cedo e levantar cedo faz um jovem saudável, rico e sábio.” É difícil não ver todos esses atributos positivos como resultado de mantendo o armazenamento de energia.

Nas minhas interações pessoais ao longo do dia, cheguei ao ponto da minha vida em que posso visualizar cada conexão como uma transferência de energia. Vejo meu abraço matinal com minha esposa e filhos como um construtor de energia sinérgica; cada um de nós se afasta mais Emocionalmente carregado por causa disso. À medida que ensino ao longo do dia, preciso manter minha energia alta para ser o catalisador, energizante redes neurais dos meus alunos através do transmissão de conhecimento e aprendizagem.

Ouvir músicas que ressoa dentro de mim durante a hora do almoço me ajuda a animado. Sentir pena dos meus colegas de trabalho envia ondas de energiaconstruindo pontes de compreensão e empatia, que nos ajudam poder através o dia. É claro que preciso da dose de dopamina das redes sociais enquanto ando pelos corredores. Esses pequenas faíscas de energia da plebe a quilômetros de distância, conecte-nos ao mesmo tempo amplificando sua mensagem. Poderíamos dizer que melhorar a nossa vida social é uma tentativa de integrar o fluxo de energia.

Pensando de forma mais global, aprendemos a aproveitar as forças naturais e recursos e ter canalizou essa energia para melhorar os nossos padrões de vida. Do fogo à água, da luz solar ao petróleo, entendemos o padrões rítmicos das temporadas. Ao respeitar equilíbrio da naturezapodemos ver o troca contínua e harmoniosa de forças vitais dentro do nosso mundo. Conseguimos conceituar um método, reconhecidamente falho, de transmitindo valor abstrato na forma atual e tradicional de dinheiro. A economia tem o potencial para estar cheio de atividade enquanto estimulando o crescimento e a inovação em um ciclo dinâmico de troca financeira. Mesmo os governos redirecionar energia na forma de impostos e da moral imposta, moldando o nosso mundo de forma profunda. Na política e no poder, cada decisão e política é como uma interruptor que redireciona a energia social, influenciando a opinião pública e o comportamento, um verdadeiro cabo de guerra sobre a percepção pública. Sob esta luz, o objetivo da sociedade é iterar em direção justiça no compartilhamento de energia.

Bitcoin integra isso

Mas se essas analogias são válidas, então como é que o Bitcoin se enquadra no conceito de energia? Considere o seguinte… Bitcoin integra o fluxo de energia, mantém o armazenamento de energia e promove a justiça no compartilhamento de energia.

Imagine um rio fluindo suavemente, encontrando o caminho mais fácil na descida. O Bitcoin, com a sua natureza descentralizada, atua como este rio, encontrando as formas mais eficientes de transferir valor e energia em todo o mundo, contornando as barragens e obstáculos financeiros tradicionais. Mas aqui está a parte interessante: a energia utilizada no processo de mineração não é desperdiçada. Na verdade, ele é aproveitado e bem aproveitado. Os mineiros muitas vezes estabelecem as suas operações em áreas com fontes de energia abundantes e baratas, como centrais hidroeléctricas ou captura de emissões de gases de combustão. Isto significa que a energia utilizada para extrair bitcoins é limpa e sustentável, reduzindo a pegada de carbono associada às operações tradicionais de mineração.

Assim como uma bateria armazena energia, o fornecimento limitado e a natureza digital do Bitcoin fazem dele um reservatório para armazenar energia econômica. Seu valor, derivado da energia despendida na mineração e da confiança de seus usuários, permite reter energia ao longo do tempo, liberando-a ou absorvendo-a conforme a demanda do mercado. Isso significa que indivíduos e empresas podem usar o Bitcoin como forma de armazenar o excesso de energia. Por exemplo, uma empresa de energia pode converter o excesso de energia em bitcoins e armazená-los para uso posterior, transformando efetivamente o excesso de energia num ativo valioso.

Num mundo onde os sistemas financeiros muitas vezes favorecem os poderosos, o Bitcoin emerge como um farol de justiça. O seu livro-razão transparente e imutável garante que todas as transações sejam registadas e abertas para verificação, promovendo uma troca justa e equitativa de energia. Nos sistemas energéticos tradicionais, existe frequentemente uma autoridade centralizada que controla a distribuição de energia. Isto pode levar a ineficiências e desigualdades no sistema. No entanto, com o Bitcoin, a natureza descentralizada da rede garante que a energia possa ser partilhada de forma mais justa. Os indivíduos podem transacionar diretamente a sua energia económica entre si utilizando Bitcoin, evitando a necessidade de intermediários e reduzindo os custos de transação.

O Bitcoin não reconhece fronteiras, culturas ou preconceitos. Ela une o mundo sob um protocolo único e universal de troca de energia, permitindo que indivíduos de todos os cantos do globo participem num ecossistema económico partilhado. À medida que aproveitamos mais fontes de energia renováveis ​​e melhoramos as nossas capacidades tecnológicas, o Bitcoin está pronto para integrar estes avanços, evoluindo continuamente para canalizar os fluxos de energia globais de forma mais eficiente.

Desde os raios solares que permeiam o nosso mundo, à electricidade que ilumina as nossas casas, até à sensação de um abraço caloroso, o mundo pode ser percebido como uma elaborada transferência de energia. Se for este o caso, não deveríamos abraçar uma tecnologia que aproveite, democratize e respeite o fluxo de energia. Ao abraçarmos o futuro, vamos reconhecer o papel do Bitcoin na formação de um mundo onde a energia flui livremente, armazenada de forma segura e partilhada de forma justa, capacitando-nos a todos nesta odisseia contínua de transformação energética.

Este é um post convidado de Tim Niemeyer. As opiniões expressas são inteiramente próprias e não refletem necessariamente as da BTC Inc ou da Bitcoin Magazine.

Fonte: bitcoinmagazine.com

Receba nossas atualizações
Fique por dentro de todas as notícias e novidades do mundo da tecnologia!

Deixe uma resposta