A Câmara e o Senado do Arkansas aprovam o projeto de lei que protege o direito de minerar Bitcoin e vai ao governador para aprovação

0
329

O Arkansas deu o próximo passo para aprovar um projeto de lei que protege o direito de minerar Bitcoin, que agora segue para o gabinete do governador.

A Câmara do Estado de Arkansas aprovou um projeto de lei destinado a regular a indústria de mineração de Bitcoin no estado. Já aprovado pelo Senado Estadual, o projeto segue agora para aprovação do gabinete do governador. A Lei de Data Centers de Arkansas de 2023 criaria diretrizes para mineradores de bitcoin e teria como objetivo impedir práticas comerciais fraudulentas.

O projeto de lei propõe que uma empresa de mineração de Bitcoin possa operar no estado se cumprir as leis estaduais relativas às diretrizes comerciais e políticas fiscais, quaisquer portarias relativas a operações e segurança, quaisquer regras ou tarifas para serviços de utilidade pública prestados por ou em nome de uma entidade pública, e leis trabalhistas estaduais e federais. O projeto de lei também propõe que os mineradores sejam obrigados a pagar impostos aplicáveis ​​e taxas governamentais em formas de moeda aceitáveis ​​e operar de maneira que não cause estresse nas capacidades de geração ou rede de transmissão de uma concessionária de energia elétrica. O projeto de lei permite ainda que os indivíduos operem a mineração doméstica de Bitcoin de acordo com as regras e taxas de serviços públicos aplicáveis.

O projeto de lei visa reconhecer que os data centers criam empregos, pagam impostos e fornecem valor econômico geral às comunidades locais e ao estado. Ele esclarece as diretrizes necessárias para proteger os mineradores de Bitcoin de regulamentos e impostos discriminatórios específicos do setor. O projeto de lei proposto definiu vários termos-chave, como “ativo digital”, que significa Bitcoin e criptomoeda. Ele também define “minerador de ativos digitais” como um indivíduo que minera ativos digitais e “mineração de ativos digitais” como o uso de eletricidade para alimentar um computador com o objetivo de proteger ou validar uma rede blockchain.

O projeto de lei proposto esclarece ainda que “negócio de mineração de ativos digitais” significa um grupo de computadores trabalhando em um único local que consome mais de um megawatt (1MW) em média anual com a finalidade de gerar ativos digitais protegendo uma rede blockchain. Ele também define “nó” como um dispositivo computacional que contém uma cópia da tecnologia de contabilidade distribuída em blockchain. O projeto de lei define “residência” como um local de habitação permanente, unidade ou estrutura acessória.

O projeto de lei propôs que o corpo legislativo significa o tribunal de quórum de um condado ou conselho municipal, conselho de administração, conselho de comissários ou órgão governamental eleito similar do governo local, e que uma pessoa pode ter um negócio de mineração de ativos digitais em uma área que é zonado para uso industrial que não foi designado pelo governo local para outros usos.

Fonte: bitcoinmagazine.com

Receba nossas atualizações
Fique por dentro de todas as notícias e novidades do mundo da tecnologia!

Deixe uma resposta